Blog

0

ENDURO ASSEKA Kart São Paulo

Agora vai, se Deus quiser![photopress:enduro.gif,full,alignright]

Desde 2006, quando organizei o primeiro evento de longa duração da ASSEKA, venho tentando realizar essa façanha novamente e, finalmente, esse ano, depois de muitas falhas, muitos pilotos questionando e em parceria com a turma do Kart São Paulo, o agora ENDURO ASSEKA Kart São Paulo, está aí.

A ideia de juntar os dois grupos, além da amizade, é unir forças, atrair mais pilotos e elevar a competitividade ao máximo, uma vez que e desafio proposto a eles é muito maior em relação às habituais corridas.

O evento será realizado no Kartódromo Granja Viana, dia 2 de julho. Temos 5 baterias agendadas, ou seja, mais de 2 horas de corrida, onde 40 pilotos, representando 20 equipes, disputarão entre si o posto de campeã do ENDURO ASSEKA Kart São Paulo.

No domingo passado, ambos os clubes divulgaram de forma oficial as informações do evento, regulamento, etc. Como escrevi acima, temos 40 vagas apenas, sendo que parte delas já estão preenchidas.

Portanto, se você ainda não se inscreveu, não deixe para a última hora. Inscreva-se através dos sites da ASSEKA ou do Kart São Paulo e participe conosco.

0

Patrocínio em pauta

Coloquei no site o áudio das entrevistas com os pilotos da ViP Kart Racing, Cristian Peticov e Vinicius Neves, além da coletiva após a corrida com os vencedores da baterias da 85 PRO, Peti, na ACESSO, e o estreante Gustavo Zimmermann, na PRINCIPAL.

Vale a pena ouvir as duas. Aliás, tenho curtido muito gravar esses áudios. Acho que estão bem bacanas, modéstia a parte. Aceito ideias para novas pautas.

A entrevista que fiz com os pilotos vips, como eles mesmos se intitulam, fala sobre patrocínio, principalmente.

É sempre complicada a captação de patrocínio, ainda mais quando se trata de um esporte amador, mais difícil ainda quando esse esporte é o automobilismo. Kart então… Ter o apoio de empresas como a UNS Idiomas, Crash Filmes, Boi 1000 Churrascaria, Mager Elétrica, Feito a Laser, Código T, entre outros, que de uma forma ou outra estão vinculadas a ASSEKA, exige muita conversa, planejamento e, principalmente, a confiança das empresas no trabalho que executamos.

Graças a Deus ainda temos empresários que confiam suas marcas em grupos como a ASSEKA e pilotos como o Peti, o Vini, Wagner, Lacerda….

Como o próprio Peti disse em nossa conversa, “cresce a ViP, mas cresce a ASSEKA como um todo”. De posse dessa verdade cabe a nós arregaçar as mangas, pensar, planejar e ativar nossa criatividade. Temos que ser relevantes e úteis para essas empresas, não apenas divulgando suas marcas, mas transcendendo, indo além. Assim, além de retribuir tamanho incentivo, se Deus quiser, conquistaremos novos parceiros!

Quem está ao seu lado nessa temporada? Envie o logo, o nome e o ramo de atividade da empresa, bem como o nome da equipe e/ou piloto(s) patrocinado(s) para o e-mail asseka@asseka.com.br. Um post será criado para divulgação de todas as marcas que incentivam a ASSEKA, seus pilotos e o kart amador como um todo.

0

Indicadores

Adoro indicadores. Acho que é o vício do trabalho. E, quando o Ferrara pediu em um de seus comentários aqui no blog, logo me motivei a fazer.

Vejam abaixo a evolução (ou não) dos pilotos etapa a etapa. Para não ficar poluído demais, coloquei apenas os TOP 5 de cada categoria, em duas sérias de gráficos: posição de chegada em cada etapa e pontuação acumulada até a quarta etapa.

[photopress:pos_85_pro.jpg,full,centered] [photopress:pts_85_pro.jpg,full,centered] [photopress:pos_super_100.jpg,full,centered] [photopress:pts_super_100.jpg,full,centered]

Abaixo, podemos ver quem são os 10 pilotos mais eficientes da ASSEKA. Entenda “eficiência” a relação entre a pontuação real de cada piloto e pontuação máxima possível em cada etapa, no caso, 37 pontos (35 pontos para vitória, 1 ponto de pole position e 1 ponto de volta mais rápida). O valor de cada um dos pilotos é a média simples das quatro primeiras etapas.

[photopress:E_85_PRO.jpg,full,centered] [photopress:E_SUPER_100.jpg,full,centered]

Caso queiram algum outro indicador, é só pedir! Ou, caso tenha cometido algum erro, me avisem. Fiz correndo!

Bom divertimento.

0

A bactéria GoPro

[photopress:228223_1685419186267_1561274132_31309928_6015054_n.jpg,full,centered]

Há uma bactéria solta por aí.

Descobri a existência dela por acaso, acompanhando o blog do Flavio Gomes, em maio de 2009. A princípio a bactéria se mostrava útil, agradável, e muito interessante para aqueles que buscavam um novo olhar do mundo.

Eu, particularmente, até queria ser vítima dessa bactéria, ainda quero para ser sincero. Ela não está disponível a qualquer um assim, é enjoada a bichinha.

Dois anos depois vejo sua multiplicação exagerada. Pelo menos 10% dos pilotos da ASSEKA são vítimas dela. E mais estão por ser!

Me pego questionando o motivo pelo qual esses pilotos, bem como muitos outros espalhados por aí, se fizeram vítimas dessa bactéria. Há quem diga que é narcisismo. Outros, arte. Alguns mais, preciosismo. Prefiro acreditar em “uma nova experiência”, desde que bem usada, afinal, é pessoal, não? O resto chega a ser invasão e desrespeito.

A bendita da GoPro, inegavelmente, virou moda nas pistas de kart por aí. Na ASSEKA, como mencionei acima, não poderia ser diferente. Porém, alguns absurdos precisam ser analisados e discutidos, não só dentro da ASSEKA, mas no geral, e por isso escrevo aqui:

1º – Excesso de exposição

Nesse mundo onde o compartilhamento de tudo virou regra, a GoPro, de fato, é uma ferramenta incrível quando aliada ao YouTube. Cumpre seu papel. Ora bolas. Olha eu lá aparecendo na internet. Uau, como sou importante. Meu vídeo foi visto 30 vezes! Puxa!

Como seria se o Pânico fizesse uma pegadinha a la Sergio Mallandro. Você autorizaria a exposição para milhões de telespectadores? Depende da exposição, certo? Certo. Afinal, quem gosta de se expor assim, a torto e a direito?

Portanto, qualquer vídeo espalhado por aí, com menção a ASSEKA e que não estiver vinculado ao site ou aos canais próprios no YouTube ou Vimeo não representam a opinião da ASSEKA e de sua organização, mas sim do autor do vídeo. Oficializarei em nota no site.

Essa é a minha forma de moderar a exposição.

2º – Ataques

Se o objeto é de uso pessoal, é de bom grado usar para si próprio, e não para atacar demais “adversários”. Usar a bendita da câmera para melhorar a tocada, aprender com os erros, sacanear de forma amistosa o amigo ultrapassado no final da reta, e por aí vai.

Usar o nome da ASSEKA, se expor e expor os demais de forma pejorativa, irônica, entre outros, aí não né?! Perde-se o propósito útil da bactéria.

3º – Burocracia

Sinceramente, não acredito que ainda ouço/leio comentários sobre a utilização da câmera em processos de análise dos resultados. É querer discutir o sexo dos anjos. Recurso eletrônico em futebol, etc…

Recuso-me a continuar nesse assunto. Estamos aqui para nos divertir e não complicar e burocratizar aquilo que deveria ser descontração!

4º – Utilidade

Qual é a real utilidade desse trem? Mostrar lances bacanas, belas disputas, aprendizado, arte. Os demais, reclamação, injustiça, fui punido por isso, fui punido por aquilo, deixaram de punir esse, etc., edita e guarda no seu HD, converse com o envolvido, fale no Briefing…

O praga!

Peço desculpas se ofendi alguém. Não é nada contra a GoPro, pelo contrário, vou comprar uma, principalmente depois que meu amigo Vini me emprestou a sua. Foi fantástico me ver pilotando, e ao mesmo tempo terrível (vai ser braço duro assim lá na Granja Viana). O grande lance é que pude analisar minha tocada e assistir de camarote disputas incríveis com meus outros amiguinhos, Marcel e Jony.

De nada adianta termos um martelo e um parafuso, ao invés de um prego. Vamos até conseguir pendurar um quadro na parede, mas, abrirá um baita rombo, fora o risco de se soltar e cair.

Usem-na da forma que for conveniente, mas, cuidado com os rombos!

0

4ª Etapa – Esquentou

[photopress:podio_85proacesso_etapa4.jpg,full,centered]

Vamos lá.

Quarta etapa quente, como era de se esperar, principalmente na bateria de acesso da 85 PRO. Mas, vamos por parte.

SUPER 100

Daniel Mahseredjian venceu de ponta a ponta e só não fez a volta mais rápida. Porém, a briga era boa entre o 5 primeiros colocados. Gustavo Zimmermann, em sua segunda corrida na ASSEKA, deu trabalho para o Marcelo Pimentel. Por diversas voltas esses dois pilotos trocaram de posição incessantemente, com muita perícia e técnica. Enquanto que Marcel Magalhães e Samuel Bezerra lutavam pela quarta posição. Outra disputa incrível entre esses dois pilotos que já se enfrentaram em outra etapa!

No fim do pelotão, um duelo entre um dinossauro da ASSEKA e um estreante. O que Ronaldo Lacerda não imaginava era que o estreante é piloto de avião e no final acabou ligando mais uma turbina e chegando a frente do nosso Velociraptor.

Nas voltas finais Marcelo se desgarrou de Gustavo e encostou de vez em Daniel, arriscou algumas ultrapassagens, tentava por dentro e por fora, mas estava difícil. Na última volta os dois pilotos entraram praticamente lado a lado no retão, mas foi Daniel quem cruzou há incríveis 0.047 segundos a frente de Marcelo! Fantástico. Foi difícil ver quem cruzou primeiro a olho nu.

85 PRO ACESSO

A bateria mais intensa da noite contava com diversos pilotos de ponta, que por conta da chuva na terceira etapa caíram para essa bateria. Eram no mínimo 10 pilotos lutando por 4 vagas apenas. Cristian Peticov venceu a corrida na estreia da nova indumentária e patrocinador. Em segundo, Elton Andrade.

Quem se deu bem foi Bruno Temple que se enroscou duas vezes com o piloto Thiago Parucci, que foi penalizado com um Stop and Go e ficou lá pra trás. No final da corrida, em disputa com Jefferson Faria, quase rodou por conta de uma ultrapassagem em Izaías Germano, que naquele momento tomava uma volta. Bruno Lanzo também foi punido com um Stop and Go ao envolver-se com o piloto Daniel Liebert. O que ninguém entendia era por que Daniel entrara no box. O piloto que estava entre os cinco primeiros se confundiu com a bandeira agitada ao Bruno e resolveu conferir de perto o que fazem os mecânicos durante as corridas!

Peti, Elton e Bruno Temple voltam para a 85 PRO PRINCIPAL, além de Tadeu Faggian Samuel Mazzaro, que conquistou a vaga extra!

85 PRO PRINCIPAL

Essa bateria cumpriu seu papel de “principal” e, extra-oficialmente, definiu o novo líder do Campeonato ASSEKA de kart amador – Marcel Magalhães. Largou na pole, mas logo na primeira volta perdeu sua posição para Gustavo Zimmermann. Depois foi tentar segurar o tricampeão Vinicius Neves até as voltas finais, quando foi ultrapassado e terminou em terceiro.

Vinicius foi penalizado por queimar a largada e com isso acabou caindo para a quinta posição. Wagner Queiroz, logo nas primeiras voltas foi tocado por Daniel Mahseredjian, que levou um Stop and Go. Wagner conseguiu se recuperar e terminou em quarto, logo atrás de seu parceiro de equipe e xará, Wagner Nascimento. A equipe dos dois, a W2 Race Team é a nova líder.

Quanto aos que caem para a bateria ACESSO, atualizarei em breve, são: Edu Benvenuti, Renan Costa, Valdir Silva e Adriano Albarracim.

É, não é mole não! A cada etapa as corridas ficam melhores, e o nível de pilotagem idem! Ainda bem que a próxima etapa é daqui a pouco!

0

2ª Copa Brasil de Kart Indoor

[photopress:Banner_Copa_Brasil.jpg,full,centered]

Começou com o Campeonato Brasileiro de Kart Indoor, organizado pela AMIKA, agora a Copa Brasil de Kart Indoor. Aos poucos as ligas independentes como a ASSEKA, vão ganhando espaço no automobilismo de forma extremamente relevante.

——————————————————————————————————

Olá amigo,

Faço parte da Agência 46, comissão organizadora responsável pela 2ª COPA BRASIL KART INDOOR.
Envio à você nosso material de divulgação pela internet. Contamos com seu apoio para repassar aos pilotos do seu campeonato.

No nosso site www.copabrasilkartindoor.com.br já está disponível o regulamento. E manteremos os interessados sempre informados.

Qualquer dúvida estamos à disposição.

Abraços
Arthur Vargas
Comissão Organizadora
Agência 46

Vem aí a 2ª edição da Copa Brasil de Kart Indoor

O Kartódromo de Volta Redonda no Estado do Rio de Janeiro será sede da segunda edição Copa Brasil de Kart Indoor. Competição que tem como objetivo proporcionar disputa sadia entre pilotos amadores do kartismo no Brasil. O evento será realizado no dia 28 de agosto de 2011 a partir das 08:30h com duração ao longo de todo o dia. Conta com 90 vagas para pilotos de todo o país. A competição é uma realização em parceria do Kartódromo Volta Redonda com a Agência 46. Ambos empenhados em tornar essa Copa um evento marcante no kartismo nacional.

A competição tem apoio da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), Federação de Automobilismo do Estado do Rio de Janeiro (FAERJ) e da Comissão Estadual de Kart do Rio de Janeiro (CEK). Os participantes devem ser maiores de 16 anos e ter acima de 50kg. Pilotos interessados em participar deverão realizar suas inscrições a partir do dia 25 de maio de 2011 através de formulário disponível no site www.copabrasilkartindoor.com.br na data em questão.

A Copa Brasil de Kart Indoor contará com duas categorias, médio e pesado, ambas com 45 minutos divididos em três séries classificatórias para as finais. A decisão de cada categoria terá 20 minutos de duração entre qualify (cinco minutos) e corrida (15 minutos) e disputada no traçado invertido do kartódromo. Ao todo, três traçados diferentes serão utilizados em toda competição.

Após três corridas classificatórias os 15 primeiros colocados de cada categoria avançam para a final com uma pontuação bônus. Sairá campeão da categoria aquele que alcançar a maior pontuação após a final. Neste ano haverá o campeonato de grupos que ocorrerá em paralelo ao de pilotos. Cada competidor representará seu grupo de kart amador e ao final da fase classificatória o grupo com maior pontuação será o campeão.

Já na sua segunda edição o torneio se insere no calendário brasileiro de kart e os organizadores esperam lotar o Kartódromo no dia do evento com pilotos, familiares, amigos e público amante por velocidade.

Contato: Agência 46
Email: falecom@copabrasilkartindoor.com.br
Mais informações sobre a Copa Brasil de Kart Indoor estão disponíveis na internet em:
www.copabrasilkartindoor.com.br

Serviço:
Evento: 2ª Copa Brasil de Kart Indoor (www.copabrasilkartindoor.com.br)
Local: Kartódromo Volta Redonda (www.kartvoltaredonda.com.br)
Endereço: Avenida Ministro Salgado Filho, nº 425, Bairro Aero Club, Volta Redonda – RJ
Data: 28 de agosto de 2001 a partir das 08:30h
Inscrições: 25 de maio de 2011 pelo site www.copabrasilkartindoor.com.br

0

200 Milhas AKAMIG/Kartódromo de Betim

[photopress:p13.jpg,full,centered]

Recentemente recebi o convite abaixo da AKAMIG. Nunca tinha ouvido falar, mas me pareceu interessante.

Trata-se do 1º Campeonato 200 Milhas AKAMIG/Kartódromo Internacional de Betim, realizado em 3 etapas.

As datas não coincidem com nenhuma etapa da ASSEKA. As equipes são de no mínimo 2 pilotos e no máximo 6, lastreados em 90 kg. Serão 5 horas de corrida.

O custo é de 1.000 Reais por equipe, ou, 167 Reais por piloto, caso a equipe seja de 6. Razoável até! Um bom programa para os finais de semana!

Caso alguém tenha interesse em saber mais, acesse o site do kartódromo.

——————————————————————————————————

A AKAMIG (Associação de Kart Amador de Minas Gerais) convida os pilotos desse Kartódromo, e desse Estado a participarem do 1º Campeonato 200 Milhas AKAMIG/Kartódromo Internacional de Betim, a ser realizado na cidade de Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais, nas seguintes datas 11/06/2011, 13/08/2011 e 22/10/2011 sempre as 09h00min, seguindo o regulamento anexo, tendo como premiação as 3(Três) primeiras equipes, ao final das 3(Três) etapas, inscrições nas 500 Milhas Amador da Granja Viana ,serão aceitas reservas de vagas até o dia 15/05/2011 mediante o envio de cheque pré datado para o dia 30/05/2011, após essa data não serão mais aceitas inscrições,as equipes interessadas,podem fazer contato para esclarecimentos no e-mail: akamig2011kart@ig.com.br ou (31) 9327-5639, com Wilson

0

40 dias depois…

[photopress:image2011_05_11_163652_1.jpg,full,centered]

As vésperas da quarta etapa do Campeonato ASSEKA de kart amador, terça-feira, em treino da madrugada no kartódromo Granja Viana pude constatar algumas coisas:

1) Estou pesadíssimo.

2) Parece que o pessoal do kartódromo tem a cada dia melhorado o tal do sistema novo de cronometragem, como na imagem, agora ele está um pouco mais decifrável. O lance dos melhores tempos do dia, da semana, do mês e do ano é bem interessante, mais ainda quando temos piloto da casa no topo da lista. Parabéns a dupla ViP da ASSEKA, Peti e Vini. O antigo “só estão utilizando” na Copa São Paulo, e na CPKA e AMIKA (está no site do kartódromo, acho que eles não viram).

3) Por falar na dupla, os caras farão neste final de semana a estreia de seu novo uniforme, além da apresentação de seu patrocinador, a WEBTRAC. O patrocínio deu uma animada nos caras, que fizeram um baita treino, e, como disse acima, estão no topo dos quadros de recorde. Se vontade e incentivo ($) era o que faltava a equipe na conquista do tri, agora não falta mais!

4) Marcel estava todo pimpão com seu novo brinquedinho, a bactéria da GoPro que ele recém adquiriu. Se eu fosse ele, ao invés de gastar com uma treco desses, trocava aquele capacete fedorento do curintia, por um mais verde, como do Temple por exemplo.

5) Peça ao Jony para contar (escrever) por que não participou da etapa passada.

6) Chegou! É sábado! Mais uma grande etapa da ASSEKA, finalmente, depois de 40 dias!

0

Números

[photopress:imgJeff_20Gordon4.jpg,full,centered]

Números. Essa palavra não tem saído da minha mente há algumas semanas. Não me pergunte por quê.

O número 5 teve lá sua importância por um período da minha vida, a do ginásio, mais especificamente. Era meu número da chamada. Depois passou.

Quando me converti o 7 foi o número da vez. Número bíblico, da perfeição, multiplicação, prosperidade. Então, quando estreei no Campeonato Paulista de Kart Granja Viana, em 2007, mandei ver e já emendei dois 7. Meu número era o 77.

Em diversas categorias do automobilismo mundial, o número do carro/moto tem seu destaque. Na MotoGP, por exemplo, temos o 46 do Valentino Rossi. Na NASCAR, temos o 24 do Jeff Gordon, que nada tem a ver com o veado, do jogo do bicho. Na Indy, o 3 do Helio Castroneves, e por aí vai. Os números nesses casos fazem parte da pintura do carro/moto. Na F1 o número representa apenas a ordem de classificação do ano anterior. Destaque zero! Alguém sabe o número do Barrichello?

Assim como um capacete bonito, bem pintado, é a identidade do piloto dentro da pista, seu número talvez tenha a mesma representatividade. E, eles o exploram dessa forma. Basta entrar nos sites das principais categorias do automobilismo, ou nos sites dos pilotos, e tirem suas próprias conclusões.

Mas, nós amadores, não temos muito espaço para isso, a não ser que…

Bem, qual seria o seu número? Aquele que te representa?! O meu segue sendo o 77!

0

Decifra-me ou devoro-te

[photopress:resultado.JPG,full,centered]

O Kartódromo Granja Viana trocou recentemente seu sistema de cronometragem. O que não entendi até agora foi o motivo da troca. Não que eles tenham que me explicar esses motivos, mas, como cliente, a princípio, não vi vantagem.

O sistema anterior era muito mais simples. Era possível analisar o tempo total da corrida, a diferença de tempo entre os pilotos, a média de velocidade, etc. Além do layout ser muito mais inteligível. Vide exemplos na página de resultados do site da ASSEKA.

Atualmente, o da imagem acima, confesso que demoro alguns minutos para analisar o resultado de uma corrida. O resultado da terceira etapa da ASSEKA só não foi divulgado até agora por conta do tempo que demoro em saber quem são os pilotos, já que os nomes são cortados, e para passar a sistema antigo. Confesso que estou quase escaneando e colocando no site da forma como recebo. É uma caça de números para ver quem é quem.

Não é possível saber o tempo total da corrida, a diferença entre os pilotos, o layout é esquisito e os nomes, pior ainda. O nome é, talvez, culpa nossa, pilotos, clientes do kartódromo, que nos autocadastramos no sistema da forma que convém. A base de dados para a cronometragem é sempre aquela cadastrada anteriormente.

No entanto, acredito que quem faz um investimento, faz sempre para melhorar algo, ou para obter um resultado melhor (a TV com a foto dos pilotos e tempos é show). Espero que o resultado não seja bom apenas para o kartódromo, mas, principalmente, para nós clientes (e organizadores de campeonato).

O que vocês acharam desse sistema? É melhor ou pior que o outro? O que poderia ser melhorado?