Blog

0

ENDURO ASSEKA Kart São Paulo – resultado

Conseguimos! Depois de 5 anos voltamos a realizar uma corrida de longa duração: o Enduro ASSEKA Kart São Paulo. Não tão longo quanto o gap da primeira edição para a segunda. Foram pouco mais de 2 horas de evento, 17 equipes e 34 pilotos.

De última hora, no próprio dia, surgiram algumas equipes que aproveitaram esse evento para “treinar” para o enduro do dia seguinte, organizado pelo próprio Kartódromo Granja Viana. Como acredito que nada é por acaso, se estes pilotos apareceram de última hora foi por que Deus quis.

Tivemos então representantes de diversos campeonatos de kart amador, como a ASSEKA, sendo maioria, Kart São Paulo, com apenas uma equipe inscrita, CAK, GPKA, além de representantes de clubes do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Durante o Briefing alguns pontos importantes do regulamento foram discutidos. Refletimos o real intuito do evento com base no texto da Bíblia que está na primeira carta aos Coríntos, capítulo 9, verso 25,- oramos e então os pilotos foram para a pista.

Em relação à corrida…

A classificação foi um pouco mais extensa do que os habituais 5 minutos. Com isso, os pilotos tiveram mais tempo para analisar o kart e trocá-lo caso houvesse necessidade. Então, o grid foi montado com os cariocas da EU PENSO KART, Hebert Sampaio e Humberto Rubin, e CAK 2011 dos pilotos Hélio Junior e Murilo Vargas na primeira fila, deixando para trás equipes fortes da ASSEKA como Kamikarts, dos pilotos Clóvis Silva e Elton Andrade, ViP Kart Racing de Cristian Peticov e Vinicius Neves e UNS Racing Team, do Daniel Mahseredjian e Marcel Magalhães, favoritas até então.

Dada a largada, lá se foram eles para quase duas horas de corrida. Logo nas primeiras curvas alguns toques resultaram na advertência de algumas equipes. Passado o bololo das primeiras voltas, já era possível perceber que a EU PENSO KART já se distanciava das demais. Fim do primeiro stint, de 10 minutos, abrimos a janela para troca de pilotos, de 90 minutos.

Aqueles com os melhores karts permaneceram na pista e abriram vantagem para os demais. Foram mais de 50 paradas nos boxes que deixaram a equipe da ASSEKA de cabelo em pé, mas com a competência de sempre fizeram mais um excelente trabalho. Fica o meu agradecimento ao meu pai Valdir, ao Sergio (@sergiobicicleta), ao amigo e ex-piloto André Bessa, que de forma voluntária contribuiu e muito na organização, e ao grande amigo do Kart São Paulo, Wagner Queiroz.

Na pista algumas equipes já asseguravam suas posições. As posições em sua maioria só eram trocada por conta das paradas nos boxes. No entanto, era perceptível a estratégia adotada por cada equipe. Alguns trocaram rapidamente de kart, para tentar um outro melhor, outros trocaram de pilotos rapidamente e deixaram o kart para o final, alguns equalizaram o tempo de troca e assim algumas equipes foram se destacando.

Janela fechada, stint final.

EU PENSO KART seguia em primeiro sem sequer ter sido ameaçada durante toda a corrida. Venceram e confirmaram o hat trick! Equipe essa que se inscreveu no dia e levou!

Em segundo terminou a UNS Racing Team, melhor colocada entre as equipes da ASSEKA. Conquistou a segunda colocação na última troca da janela. A B. B. Kings, dos pilotos Bruno Lanzo e Bruno Temple, que até então estava em segundo, perdeu diversas posições e só terminou no décimo primeiro lugar.

A PB Kart Team, do Samuel Bezerra e Thiago Parucci, outra equipe formada por pilotos da ASSEKA, conquistou a terceira colocação. A equipe representada pelos pilotos da CAK, a CAK 2011 terminou em quarto e a Sem Nome 4, formada pelos pilotos Alexandre Nunes (GPKA) e o mineiro Felipe Ferreira fechando o pódio.

Bom, agora é com vocês. O que acharam do evento? Qual foi a estratégia usada? Erros, acertos….

0

O kart amador financia o profissional

[photopress:indoor_e_profissional_1.jpg,full,centered]

O kart amador tem chamado a atenção da mídia. Não são raras as matérias em jornais, televisão, revistas e, principalmente na internet. Ontem foi publicada mais uma edição da excelente publicação online, a Revista Warmup, sobre os 100 anos do Fangio.

Em uma de suas seções, mais especificamente a Cool!, as jornalistas Paula Gondim, de Belo Horizonte e Juliana Tesser, de São Paulo, relatam suas observações sobre o mundo do kart amador na matéria intitulada “Quando a escola vira um parque de diversões”.

De posse das informações contidas na matéria, gostaria de salientar duas coisas:

1- “Ao contrário de muitos pilotos que usam o kart como base para chegar as categorias top do automobilismo, muitas pessoas encontram no esporte uma chance de se divertir e encontrar amigos.”

O kart indoor, ou kart amador, e os campeonatos de kart amador organizados como a ASSEKA, cumprem de fato esse importante papel, – o de gerar amizades, relacionamentos, contatos, etc., simplesmente pelo puro prazer da diversão e descontração. A ASSEKA vai além e planta a semente de algo ainda maior, a presença de Jesus em nossas vidas.

É dessa forma que obtemos como resultado eventos de alto nível, competitividade extrema, e que tem atraído a atenção de mais pilotos e investidores. É comum encontrar pilotos patrocinados nesses eventos, bem como os próprios grupos organizadores.

2- “A realidade brasileira hoje é que nenhum kartódromo consegue se manter, fazer sua manutenção normal”, diz, sem rodeios, Pedro Sereno, presidente da Federação Mineira de Automobilismo. “A saída para eles foi o indoor, o kart de lazer, que gera renda pra fazer as competições oficiais.”

A citação acima, retirada do próprio texto, é muito séria! Os kartódromos deveriam dar um pouco mais de importância às organizações como a ASSEKA, que, sem dúvida nenhuma movem esses empreendimentos.

Fiz uma conta de padeiro e, olhando apenas para o Kartódromo Granja Viana temos a seguinte situação:

– 14 campeonatos utilizam os serviços do kartódromo (de acordo com o site do próprio kartódromo);
– 5 baterias em média por campeonato (o que para alguns é muito menos que o real);
– 15 pilotos em média por bateria;

Com isso, é fácil verificar que temos (no mínimo) 1050 pilotos atuantes e que pagam 90 Reais pelo aluguel do kart, gerando um faturamento bruto de quase 95 mil Reais. E, não estou levando em consideração as demais baterias organizadas por outras pessoas, de forma avulsa. Isso tudo para bancar, de acordo com o texto, os midiáticos campeonatos profissionais.

E o kart indoor, amador, como fica? O que tem sido feito pelos kartódromos para manter esses campeonatos? Será que estão atentos àquilo que é valor para nós, clientes?

Infelizmente não percebo muita ação nesse sentido. Enquanto isso, pelo puro e simples prazer de praticar esse esporte tão empolgante, aceitamos tudo isso e tudo se mantém da mesma forma!

0

Carros 2

Dica para o feriado. Estreia hoje nos cinemas Carros 2, da Disney-Pixar. O primeiro já foi sensacional. Essa segunda edição promete ser melhor ainda. Tem até carro de Fórmula 1!

Abaixo o trailer do filme para dar uma animada:

0

Habilidade, resistência, poder e comportamento

[photopress:IMG_0142.jpg,full,centered]

Procurando o significado da palavra enduro, da definição partindo do inglês endurance, encontrei o seguinte:

    en‧dur‧ance [uncountable] the ability to continue doing something difficult or painful over a long period of time

Traduzindo: A habilidade de fazer alguma coisa difícil ou dolorosa por um longo período de tempo de forma contínua.

O Enduro ASSEKA Kart São Paulo propõe então, testar…

…sua habilidade como piloto de kart;

…sua resistência em níveis profundos de estresse, desgaste físico e mental;

…seu poder de concentração, tomada de decisão, planejamento e negociação;

…seu comportamento com elevado nível de adrenalina, em relação aos “adversários”.

O básico, que é se divertir e fazer novas amizades também estão no pacote de qualquer evento social, porém, um evento simples como esse nos ensina coisas que muitas vezes deixamos de lado, mas que são importantíssimas para nosso desenvolvimento pessoal. Além do fato de ser muito mais barato do que qualquer workshop de liderança, coaching, comunicação e planejamento que encontramos por aí!

Vai encarar?

0

Control Service

[photopress:controlservice.gif,full,centered]

A ASSEKA dá mais um importante passo em seu desenvolvimento estratégico e esportivo agregando mais um grande parceiro em seu hall de empresas que apóiam e incentivam o kart amador.

A Control Service, uma empresa de projetos e soluções em radiocomunicação, a partir de agora fornecerá os rádios de comunicação utilizados pela equipe de comissários durante os eventos.

Essa parceria agregará valor aos eventos uma vez que dá velocidade a troca de informações e tomadas de decisões, sejam elas fora da pista, ou dentro, durante as corridas.

Uma parceria inédita para ambas as partes. A ASSEKA, por agregar recursos importantes em seu desenvolvimento e a Control Service por entrar em um novo nicho de mercado.

Portanto, quando o assunto for radiocomunicação lembre-se da Control Service.

0

Road Show UNS Idiomas

Para quem quer conhecer um pouco mais do negócio UNS Idiomas, parceira da ASSEKA nesta temporada, está aí uma excelente oportunidade.

Em 2011 a UNS recebeu pela primeira vez o Selo de Excelência em Franchising, concedido pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), na categoria Educação & Treinamento. A certificação é a mais importante do setor e atesta a qualidade da rede e sua credibilidade no mercado de franquias.

[photopress:mail.jpg,full,centered]

0

5ª Etapa – Im-pres-si-o-nan-te

Frio? Que frio que nada! Ausências? Que ausências que nada! Farol? Que farol que nada! Cronometragem? Que cronometragem que nada! Granja Viana? Que Granja que nada!

Nada disso, absolutamente nada disso pôde tirar o brilho da quinta etapa do Campeonato ASSEKA de kart amador. Estava frio, muito frio. Lembro-me de ter visto no placar 11 graus. Meu rosto adormeceu por causa do vento que cortava! Mas valeu a pena ver de camarote belíssimas disputas.

Daniel Mahseredjian segue mais líder do que nunca. Dois hat tricks seguidos e mais de 30 pontos de diferença para o segundo colocado, Marcel Magalhães. Será que vem aí um bicampeonato na SUPER 100?

Marcel largou em terceiro, mas logo nas primeiras voltas foi tocado. Caiu para último, se recuperou e terminou em sexto. Daniel Pastore e Gustavo Zimmermann travaram um bela disputa durante toda a corrida. Gustavo atacava incessantemente, Daniel se defendia de forma magistral. Marcus Leão, que largou em segundo, terminou em quinto e conquistou seu primeiro pódio na ASSEKA.

O primeiro pódio é sempre inesquecível, não?

Bruno Lanzo, assim como o Dani Mahseredjian, foi o nome da 85 PRO ACESSO. Hat trick na cabeça e de volta para a PRINCIPAL. O Jony foi o único que ameaçou um pouco a liderança do Lanzo, mas por apenas uma volta, logo na largada.

Adriano Ravasi foi o terceiro, portanto, junto com os demais, sobe para a PRINCIPAL. Thiago Parucci e Adriano Albarracim se aproximaram do Ravasi, mas ele conseguiu ser constante e abrir espaço. Thiago e Albarracim, sem muito mais o que fazer, ainda deram um pouco mais de emoção a essa bateria, principalmente nas últimas voltas, onde os dois trocaram de posição. Quem se deu melhor foi o Thiago, mas, infelizmente, esses dois ótimos pilotos continuam na ACESSO. Dava pra ver a tristeza (ou desapontamento) quando eles receberam a bandeira quadriculada.

Gabriel Brito, que chegou na oitava posição, também sobe para a PRINCIPAL.

Eis então que chegamos a bateria final.

Wagner Queiroz fez a pole. E, depois da bandeira verde tivemos um dos melhores espetáculos de pilotagem da ASSEKA até hoje.

Cinco pilotos disputavam intensamente a primeira colocação. Voltando um pouco, antes dos cincos estarem juntos de fato, Vinicius Neves, Dani Mahseredjian, Peti e Wagner Nascimento brigavam pela quarta colocação, enquanto que o Gustavo, Elton Andrade e Wagner Queiroz trocavam de posição mais a frente.

Na terceira volta Elton era pressionado por Gustavo quando foi ultrapassado por ele e Queiroz ao mesmo tempo no final do retão. Marcel Magalhães e Clóvis Silva recuperavam as posições perdidas por largar dos boxes.

Wagner Queiroz então passou Gustavo, que ao forçar uma ultrapassagem perdeu um pouco de contato. Enquanto isso, o pelotão de trás encostava.

Vini Neves, com isso encostou de vez nos três primeiros colocados, e trouxe junto, um pouco mais descolado o Daniel.

Em um dos momentos mais impressionantes da corrida, no retão, ao mesmo tempo, Gustavo ultrapassava Wagner Queiroz e Vini ultrapassava o Elton. Uma belíssima manobra desses quatro pilotos que levantou suspiros das pessoas que acompanhavam a corrida! Foi lindo de ver!

Pilotar tão junto e justo assim, como esses pilotos fizeram é muito difícil. Qualquer erro pode custar várias posições, ou até mesmo acidentes, porém, o respeito que presenciamos provou que é possível ser competitivo sem ser desonesto.

Só mesmo os pilotos para explicar o que foi essa corrida!

No final, na descida que leva para a curva dois do traçado, Elton espremeu o Wagner e o ultrapassou levando junto o Vini.

Como terminou? Gustavo venceu a segunda corrida consecutiva, Elton terminou em segundo, Vinicius em terceiro, Wagner em quarto e Daniel em quinto. Samuel Mazzaro, Ferrara, Bira e Ednilson “caem” para a ACESSO.

Depois de uma noite de corridas tão boa quanto essa da quinta etapa, o intervalo para a próxima etapa parece ser ainda maior. Ainda bem que dia 2 de julho tem ENDURO ASSEKA Kart São Paulo!